domingo, 10 de outubro de 2010

Quem reprova o Governo Lula?

Quem reprova o Governo Lula?

Opiniões de Carlos Lessa, Ex-presidente do BNDES; Pedro Luís (cantor e líder do Monobloco), Nelson Rodrigues Filho, jornalista; Roberto D’Ávila, jornalista; Zuenir Ventura, escritor, Paulo Lins, escritor; Antônio Pedro, ator; Carlos Bolsonaro, ex- capitão do exército e deputado federal e Carlos Fernando arquiteto e presidente do IPHAN, avaliaram o governo Lula e analisaram o perfil do pequeno percentual que reprova o presidente.

A história de Lula já se transformou em filme, mas tem potencial para virar uma bela novela. Não um melodrama qualquer, mas uma novela com direito a sofrimento, alegria, luta, perdas, dificuldades, adversários poderosos, derrotas e muito sucesso.
Opositores e adversários políticos tentam entender a razão do prestígio do presidente e vivem tentando encontrar seu “calcanhar de Aquiles”. Uns apontam seus programas sociais como o Bolsa Família, o PAC e mesmo os pontos de cultura como a razão de seu sucesso. Outros, em qualquer oportunidade tentam rogar praga e desqualificar sua popularidade.
Faltando três meses de deixar a presidência qual a opinião de importantes personalidades de nossa sociedade sobre Lula? – Quem reprova e quem aprova o atual presidente?


Uma sociedade em transformação
Pedro Luís
Cantor e Líder do Monobloco
“Não sou estatístico. Não sei exatamente onde se localiza esse pequeno percentual que não aprova o governo Lula. Nosso país passou por muitas dificuldades e vagarosamente vem se construindo. Quem acompanha o que aconteceu nos últimos 16 anos e principalmente com a administração do Lula, sabe que nossa realidade mudou para melhor. O fato é que estamos nos reconstruindo, mesmo com todos os erros e caneladas. Em razão das mudanças que aconteceram, a grande maioria das pessoas aprova a atual administração. Eu particularmente aprovo algumas coisas, desaprovo outras, mas não sei se é o caso de reprovar o presidente. Juro que não sei quem reprova. Eu aprovo e não diria exatamente por mim, mas pelas muitas pessoas que conheço que nunca antes tiveram qualquer oportunidade de consumir, de viver melhor, ter sua auto-estima e estarem inseridas na economia, no quadro social e financeiro. Essas pessoas pela primeira vez se consideram parte do quadro social do Brasil. Pela primeira vez se percebem cidadãs e, em razão disso, não importa muito quem reprova.”

Equívocos da governabilidade...
Carlos Lessa
Ex-presidente do BNDES

“Não se trata de aprovar ou reprovar. Faço parte da minoria que não apóia ou que pelo menos deixou de apoiar o governo Lula. O problema é que de início imaginei e acreditava que ele fosse realizar as mudanças que o Brasil precisava, mas isso não ocorreu. Aconteceram muitos equívocos e muitas negociações para garantir a governabilidade que me deixaram de certa forma frustrado. O Lula tinha um capital político que lhe permitiria fazer as mudanças que quisesse e não as fez. A aprovação do Lula é decorrente do fato de ele ser do povo, de falar sua linguagem, de se identificar com o povo. Não podemos negar que ele se identifica com o povo, que ama o povo, o povo se sente amado por Lula e retribui esse amor. Sente-se protegido. Não saberia dizer quem reprova talvez uma parte da elite, talvez uma parte de aliados que não aprovam a maneira como se comportou para garantir governabilidade.”

Os Príncipes e o presidente!!!
Carlos Fernando
Presidente Regional do IPHAN
“Esse pequeno percentual de pessoas não me parece que reprovam o governo, mas reprovam o Lula especificamente. Penso que são pessoas que sempre quiseram ter um príncipe como presidente e tiveram que conviver com um operário na presidência. Um homem que tem todas as características boas e ruins, se é que podemos analisar como ruins as características que um operário tem. É normal que operário fale errado, é normal que em muitas ocasiões não saiba como se comportar à mesa. Um operário não sabe agir como um príncipe. Um príncipe tem a norma culta, mas não podemos perder de vista que os príncipes durante séculos administraram esse país e só souberam se comportar à mesa. Nada mais eles souberam fazer. Esse pequeno percentual que reprova o Lula representa mesmo uma quantidade muito pequena da sociedade brasileira. São pessoas que sabem olhar a vida a partir das etiquetas, que sabem quais os garfos que devem ser usados e que, ao invés de falar seje, falam seja; para elas, não obedecer a essas etiquetas se torna um crime inominável. Penso que é gente que reprova o Lula. Penso que Lula é e será preterido eternamente por essas pessoas que preferem príncipes em vez de presidentes.”

Difícil sabe
r.
Zuenir Ventura - Jornalista
“Nossa! Que questão difícil! Eu não faço a mínima ideia de quem sejam e quais as pessoas que reprovam o Lula. Os institutos de pesquisas deviam fazer uma pesquisa para saberem quais pessoas reprovam o Lula. Acho que só os institutos estariam abalizados para responder tal questão. É possível que eles tenham essa composição, que saibam qual a parcela da sociedade que reprova o Lula pois, da mesma maneira que eles sabem quem aprova e qual esse percentual de aprovação, eles também devem saber quem reprova, onde estão e que parcela da sociedade representa. A única verdade e a única constatação que podemos ter nisso tudo é que a popularidade, o carisma e aceitação de Lula são coisas inegáveis. Não adianta dar soco em ponta de faca, achar – como muita gente da oposição – que a popularidade do presidente é decorrente de projetos como o Bolsa Família. Não adianta os opositores insinuarem que o prestígio de Lula vem especialmente de pessoas alienadas ou analfabetas, do segmento mais pobre. Não acredito que seja isso. Temos que admitir que o Lula, que conseguiu 80% de aprovação, realizou uma façanha que não é para qualquer um. Podem existir pessoas insatisfeitas com o governo dele por razões idiossincráticas, de preconceito, de antipatia, mas a verdade indiscutível é que ele tem carisma pessoal.”

Govern
abilidade e equívocos...
Nelson Rodrigues Filho
Jornalista e
Produtor Cultural
“Não há como negar que o governo Lula modificou uma série de coisas no país. Mudanças que atingiram principalmente as classes menos favorecidas. Apesar disso, não podemos perder de vista que o governo Lula também deixou a desejar no sentido do conceito de governabilidade. A reprovação do Lula é em decorrência de atitudes implementadas que são injustificáveis e, aos olhos de muitos, equivocadas. Fechar os olhos para algumas coisas em nome da governabilidade não parece uma coisa correta e justa. Não acho que esse índice de reprovação tenha a ver com a elite brasileira. Essa reprovação vem de pessoas que ajudaram a construir o processo de redemocratização do país, colaboraram no surgimento do PT e que não gostam de uma série de coisas que foram acontecendo. Não aprovam, por exemplo, essa história de em nome da governabilidade o governo fechar os olhos às falcatruas. É uma questão de avaliação. O presidente avaliou que era importante fazer isso, mas as pessoas que sempre estiveram a seu lado não são obrigadas a concordar com suas avaliações.”


Preconceito X Gen
erosidade
Roberto D’Ávila
Jornalista e um dos produtores do filme “Lula, o filho do Brasil”

“Penso que essa reprovação é fruto do preconceito. O presidente Lula mostrou nesses 8 anos que é um homem de espírito aberto e sem amarguras. Um homem que olha para o futuro, que sempre buscou fazer o melhor que pôde como governante. Claro que o Brasil ainda tem muito por andar, muitas coisas para mudar, mas Lula deu uma lição para todos nós brasileiros: nos ensinou como é importante a generosidade. Ele é um homem que sofreu tantos preconceitos ao longo de sua vida e nem por isso se tornou amargurado ou rancoroso. Conheço bem a vida do presidente, li muito sobre sua trajetória e conversei muito com ele. Acho o Lula quase um milagre: aquele homem que viveu uma caminhada sofrida na própria vida até chegar à presidência da República. Apesar de tudo, esse homem não guardou mágoa e não demonstra nenhum tipo de preconceito. Por tudo que o Lula representa, por sua trajetória, acho difícil alguém ser contrário a ele. Podemos nos manifestar aqui, ali, discordar por uma razão ou outra, mas ser contra o Lula acho muito difícil. O Lula é um homem que já é parte da história.”

Com a cara do Brasil...
Paulo Lins - Escritor
"Essa coisa de gostar ou não do lula ou reprovar ou não o Lula é muito curiosa. A sociedade brasileira construiu um caminho curioso e inteligente, pois num momento escolheu para presidente o que tínhamos de melhor que poderia representar a intelectualidade, quando elegeu e depois reelegeu o Fernando Henrique, um sociólogo que veio da USP e, num outro momento, escolheu o que tínhamos de melhor no que poderia representar os movimentos sociais e as pessoas mais pobres ao eleger e reeleger o Lula oriundo do movimento sindical. O problema dessas governabilidades era a proposta dos governos. Para quem se governava e como se governava. O Lula tem a cara do Brasil e por isso, o Brasil se identifica tanto com ele. Votei no Lula, fiz campanha por ele e tenho por ele uma profunda admiração pelo que ele representa. Essa coisa de não gostar de Lula é muito curiosa, pois o cara tem 80% de aprovação popular e confesso que não consigo identificar quem são as pessoas que não gostam de Lula. Eu gosto".


Oligarquias engessadas

Antônio Pedro - Ator
“O Lula se identifica com as pessoas e as pessoas se identificam com ele. Essa relação que o Lula estabeleceu com a sociedade foge a essa política viciada que temos e, que em razão disto, ele tem toda essa popularidade. Ele tem uma olhar e uma postura independente do circulo vicioso do poder. Ele culturalmente é uma pessoa independente de toda essa coisa que esta montada, em cima deste esquema político, desse sistema de poder político brasileiro. Culturalmente esses caras que representam essas oligarguais, esses sistema de poder estão engessados. Estão presos à forma de poder que aprenderam a pensar. Estão amarados às suas histórias e suas trajetórias. Nesses sistema de representação diria que o maior adversário de Lula é a mídia. Esta mídia inteira que faz parte deste universo viciado. São cinco famílias que mandam no sistema de informação do Brasil. Esses são os verdadeiros opositores de Lula, são as pessoas que reprovam Lula. O sistema de comunicação no Brasil representa um gueto que precisa passar por um profundo processo de democratização. Informação de quem? – Informação para quem? Se apenas cinco famílias mandam em todo sistema de informação. Vamos parar com essa demagogia de que representam a cultura, a democracia, a liberdade de expressão e a livre circulação de informação. Eles representam e defendem seus próprios interesses e farão o que puderam para se manterem e se perpetuarem no poder".

Um divisor de águas
Noca da Portela - Compositor
"Quem não gosta do Lula? – Eu juro que não sei quem não gosta do Lula, mas... Eu sei quem gosta do Lula. Gostam do Lula aquelas pessoas que sempre foram excluídas – negros, gays, população carcerária, favelados, indígenas, e muitos outros grupos que sempre estiveram impedidos de sonhar. São essas pessoas que vivem em uma das maiores economias do mundo, onde poucos têm tudo e uma grande maioria não tem nada. O Lula serviu como um divisor de águas. Podemos até ser hipócritas e não querer ver, mas existia um país antes do Lula e existe outro pais depois do Lula. Viajo muito o Brasil e sempre percebi a distância entre esses dois países e não há como negar que essa distância diminuiu muito".

Sociedade de Manobra
Jair Bolsonaro
Entr
evista ao Jornal Capital Cultural concedida em outubro de 2009
“Não se trata de aprovar ou reprovar o Lula, se tatá de analisar o governo Lula. Ele seria muito bom se implantasse uma política de paternidade responsável,com planejamento familiar ou mesmo um controle de natalidade. Esse pessoal que recebe o “Bolsa Família”, que chamo de “Bolsa Farelo”, estão criando uma cultura de gente que não quer estudar, não pode trabalhar e então, pede dinheiro ao Bolsa Família, que não serve para nada. Essas pessoas representam uma massa falida, uma massa de manobra, uma sociedade de manobra que tem um título de eleitor nas mãos para perpetuar o Número 13, no caso, o PT e o governo Lula no poder. Políticas sem sentido como cotas na universidade, bolsa ditadura, são pretextos para a manutenção no Poder. Não tenho razão para gostar ou desgostar do Lula, apenas acho seu governo absolutamente equivocado"

3 comentários:

marcelo reis disse...

A questão d ecotas é combatida por este representante de uma direita que pouco sabe sobre a história do Brasil e a sua reparação histórica dos afrodescendentes , mas ele não perdeu a chançe de dar um gabinete (eleito não discuto ) ao seu filho que não teve nenhuma conquista ,pelo menos o Pai é ex -capitão quanto ao filho é apenas um ECO da voz do papai . Discussãoi [e séria e Farelo para quem não tem o que comer é alguma coisa,pena que não conheça a verdade do interrior do Brasil deixada pelos 25 anos de intervenção

Xandoca disse...

Virgílio,
Já lhe considero um sobrevivente por ter saído vivo de uma entrevista com esse canalha que é o Bolssonaro. Um homem capaz de pedir em plenário o assassinato de FH, é capaz de qualquer coisa! Quanto ao Lula, é não apenas o melhor presidente que tivemos, mas o único! Sim, o único! Qual deles se preocupou realmente em governar? NENHUM! Lula, com erros e acertos, realmente governou e colocou o Brasil no rumo em direção ao futuro. Votei em Marina Silva por ver nela a ampliação do leque. Agora é Dilma pra seguir mudando!

Xandoca disse...

Também discordo de nosso nobre Barba quando diz que Lula fechou os olhos às falcatruas em nome da governabilidade. Quem teve que ser punido pelo Executivo o foi: Zé Dirceu foi exonerado como Ministro e Erenice também. As questões do PT no episódio do mensalão que o PSDB criou têm que ser resolvidas no PT e no Congresso Nacional e não no Executivo. Observe que ninguém, além do Dirceu e do Janene (do PPB do Maluff) foi punido. Além deles, só o super herói dos imbecis, Roberto Jefferson, que, convenhamos, teve uma punição deliciosa: saiu com os milhões que abocanhou e ainda pode aposentar-se como deputado pelos 23 anos de legislatura. Boi de piranha é isso aí!
A PF já estava apurando o caso do "mensalão", que não era mensalão nenhum, como disse o Jefferson, e a CPI só veio para interromper e atrapalhar o trabalho que a PF vinha desenvolvendo. Mas assim quis a sociedade! Paciencia!

Postar um comentário

  ©Jornal Capital Cultural - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo